(12) 3127-8092

LIVROS

Livro

Uma estranha maneira de se comparar amanhãs

Autor: Bioque Mesito

GÊNERO: poesia | FORMATO: 16X23 | ANO: 2021 | PÁGINAS: 188 | Pólen soft 80

SINOPSE: A poesia nos permite diferentes formas de interpretações e/ou de compreensão; dentro da linha discursiva de um livro desfila temas diversos, intertextualidades, dicotomias, aforismos, metonímias, só para citar alguns. E, eu, poderia destacar alguns dos elementos supracitados dentro do percurso poético-filosófico-existencial, de Bioque Mesito, mas prefiro referenciar a relação, homem-tempo-espaço-cidade dentro do corpus poético de seu belo livro Uma estranha maneira de se compararamanhãs. Título que por si só congrega toda uma reflexão sobre o vivido e o não vivido, sobre o real e o imaginário. A competência vocabular de Bioque Mesito permite derrubar as paredes da estética sem renunciar a poesia, ao mesmo tempo que ele diz no poema Releituras: “aos cinquenta anos caminho não esperando novidades nem me espantando com nada neste mundo”. Em outro momento, no poema A máquina de consertar o mundo reconhece que a “poesia é um estado de olhos que pontifica a existência”. E, eu, complemento com o excerto do poema Os guardados, que Bioque diz que é “Um homem no caminho da transformação da palavra”, e que traz nos olhos a sua pólis atravessando becos, ruas escadarias, horizontes, dessa cidade plena ou esfacelada e mergulha nas fraturas do tempo sem receio de encontrar o vazio que pode haver por lá. “O Homem está na cidade, como uma coisa está em outra e a cidade está no homem que está em outra cidade”, diz Ferreira Gullar. Bioque Mesito está no hoje e nos amanhãs da boa poesia. Aplaudindo este poeta imenso, finalizo com os versos de Glória de Sant’Anna: “O que me prende é o que te prende: largo horizonte de outros passados, raízes fundas presas no chão e um mar tão largo”. Luiza Cantanhêde

OUTRO(S) LIVRO(S) DESTE AUTOR

A Desordem Das Coisas Naturais

A Desordem Das Coisas Naturais

A inconstante órbita dos extremos

A inconstante órbita dos extremos

Odisseia do nada registrado

Odisseia do nada registrado