learnex

Depoimentos
Índice do Artigo
Depoimentos
Página 2
Todas as Páginas

Hoje reservei um tempo para esboçar umas palavras sobre a Editora Penalux – nada mais justo e necessário, já que seus editores dedicam tantas horas do seu tempo para as palavras de inúmeros poetas e escritores como eu Brasil afora. A Penalux é mais que uma editora – isso fica bastante claro durante todo o processo de publicação, desde o envio dos originais até o momento em que os livros chegam nas mãos do autor. Fiquei bastante alegre e satisfeito ao ver como a casa editorial se relaciona com seus escritores, uma relação para além do viés comercial. Sim, a Penalux não é só mais uma editora que recebe, avalia e publica seus livros. Não, a Penalux não atua como se fosse uma grande gráfica, não recebe seus textos como “apenas mais um a ser publicado e impresso na lista do mês”. A Penalux enxerga seu trabalho como algo particular, singular, produto de um modo de pensar e sentir único. A Penalux sabe que do outro lado há uma pessoa cheia de ideias e sentimentos, que considera seu livro, seja de qual gênero for, como um filho. É por isso que a Penalux trata o autor como ele realmente é: um ser humano. Durante o processo de edição e publicação tive total liberdade no trabalho com o meu livro – liberdade, algo essencial para quem trabalha com poesia – pois a editora não se colocou em um patamar acima, tampouco abaixo. Conversamos e trabalhamos no nível da igualdade. Recebi respeito, compreensão, espaço para projetar minhas ideias e bastante incentivo por meio dos editores Wilson Gorj e especialmente Tonho Franca (que foi quem me acompanhou, especificamente), editores que desempenham um trabalho sério e comprometido, mas sem dispensar a sensibilidade, fundamental para quem lida com o mundo das letras. Wilson e Tonho, além de editores, também são escritores e poetas. E, acredite, isso faz toda diferença para uma editora. Por isso Tonho e eu nos entendemos e nos demos tão bem. A sensibilidade lírica dele foi decisiva para nossas conversas e decisões sobre meu livro, Sintoma do Mundo. Poetas se entendem. Por tudo isso e muito mais agradeço à toda equipe Penalux por ter me ajudado na edificação desse sonho, sonho que comecei a construir há muito tempo. Essa é a editora que todo escritor sonha em ter. Essa, repito, é mais que uma editora – é uma casa de amigos.

Elton SDL, autor do livro SINTOMA DO MUNDO (2014).


Conhecer a Penalux foi a oportunidade de publicar um livro que eu vinha guardando havia anos sem ter encontrado porto em nenhum dos mares editoriais brasileiros: 'Na sala escura', que os editores, Wilson Gorj e Tonho França, transformaram numa linda edição. Atribuo a sensibilidade de editores de Gorj e França em grande parte à sua condição de poetas. Só poetas podem mesmo ser bons e atentos editores.

Chico Lopes, autor do livro NA SALA ESCURA [...] (2014).


Ter um livro de autoria própria, era para mim um sonho ainda distante, mas ao me responderem um único e-mail, eles me fizeram enxergar que nada é impossível aos que têm força de vontade e coragem para encarar os desafios. Agarramos juntos meu sonho e o tornamos real. Tonho Franca Franca e Wilson Gorj me surpreenderam, e hoje não são para mim apenas editores, são amigos que sei que posso contar. A confiança, a credibilidade e profissionalismo de toda a equipe é que fazem com que a chama da Editora Penalux brilhe. Orgulho é o que tenho em fazer parte dessa equipe. Sou apaixonada por meu livro e o trabalho inteiro não poderia ter saído melhor! Serei sempre grata, muito obrigada a todos!”

Juliane Rodrigues, autora do livro Da poesia, fez-se flor (2014).


Neste Dia do Escritor (25 de julho), não poderia deixar de agradecer o cuidado e profissionalismo da Editora Penalux com meus livros. A decisão de entregar nosso trabalho para ser transformando em um livro é mais fácil sabendo da competência e responsabilidade das pessoas com as quais vamos trabalhar. Grata.”

Sônia Gabriel, autora dos livros Ventos antigos e No quintal da Bruxa (2014).


A Penalux é de fato uma luz dentro do atual cenário editorial. Auxiliam os primeiros passos de autores estreantes, e dão condição de caminhada para autores que a pé precisam continuar publicando. Os editores são primorosos e executam o trabalho com seriedade, delicadeza e devida atenção. Tenho extrema satisfação de ter lançado meu livro através das mãos cuidadosas de Tonho Franca e Wilson Gorj. Tenho a quente sensação de que a editora se propõe a promover encontros.”

Mariana de matos, autora do livro Meu corpo é um esconderijo (2014).


Dia desses me perguntaram: você gostou de ter publicado seu livro pela Penalux? Respondi: você não me disse que a pergunta era sobre família. Estou em casa, feliz, de bem. O resto vem.”

Dan Cezar, autor do livro Levezas & Doçuras (2014).


Os editores Wilson Gorj e Tonho Franca Franca são extremamente caprichosos e ainda emolduraram, elegantemente, o estudo deste pesquisador... Agradeço, imensamente, a Editora Penalux que possibilitou, no meio da Dissertação (Maria Firmina dos Reis) e da Tese (Machado de Assis), o estudo Fagundes Varela, Poeta!. Gosto muito deste meu livro e acho o produto bonito, de tão VERMELHO e PRETO e de LETRAS!”

Juliano Carrupto do Nascimento, autor do livro Fagundes Varela, Poeta! (2014).


O papel da luz é abrir caminhos. Isso é o que faz a Editora Penalux para que nós, autores, publiquemos. E, soma conosco, acreditando junto naquela obra que, enfim, nasce. De forma desembaraçada, transparente, gentil, parceira e profissional, vai criando e dando uma forma elegante ao que, antes, era uma coleção particular de sonho. Obrigada, Penalux, por nos ajudar a ver um passo adiante!”

Tâmara Abdulhamid, autora do livro O caminho das flores (2014).


Foi então que encontrei Wilson Gorj e Tonho França para editarem e publicarem meu livro pela editora Penalux, novo e ambicioso projeto elaborado por ambos, com o objetivo de fazer despertar essa literatura que ronrona e que vive abafada pelo mercado sufocante de consumidores-zumbis-vampirescos. Publicar coisa nova, ou seja, fazer o novo acontecer, dar espaço a um novo período para a Literatura atual. Lá meu livro teve um trabalho atencioso, sério, e pude perceber o potencial da minha Literatura, sentindo que ela era capaz de ainda permanecer novidade, como pensava Ezra Pound, e merecer um lugar que de fato pudesse compensar todo o esforço empenhado pela carreira deste escrevinhador.”

Felipe Garcia, autor do livro Frio Forte (2014).

Leia o depoimento na íntegra.


“Tudo começou com um e-mail e hoje tenho um livro exemplar, graças ao profissionalismo e comprometimento da Editora Penalux. Fica aqui o meu profundo agradecimento aos amigos Tonho e Wilson.”

Sandro Cuesta, autor do livro Olhos nos olhos (2014).


Como não me denomino escritora vou ser bem direta: Penalux deu luz às minhas palavras, mesmo eu sendo notívaga. Me surpreendi com tudo relacionado a Editora. O jeito de tratar quem escreve com a alma, coisas simples, no meu caso. Tratamento excepcional desde o começo. Dúvidas e mais dúvidas esclarecidas prontamente. Tudo, na minha opinião, ficou perfeito. O interior, a capa, simplesmente sou EU! Teria muita coisa a dizer mas me estenderia muito. Obrigada a toda equipe.”

Fernanda Guiterio, autora do livro Mau é não viver (2014).


“Costumo dizer que Wilson Gorj e Tonho França são editores amigos. Com eles, o autor que procura a Penalux para publicar seu livro se sente em casa. Daí que decidi entregar à dupla meus três livros até aqui editados. Mais três livros estão em andamento. E já escolhi para onde encaminhá-los: Penalux.”

Paulo Lima, autor dos livros Falsa Paisagem (2013), Anônimos (2013) e Abre alas (2014).